HOMENAGEM aos 100 ANOS D0 “El Santo, EL ENMASCARADO DE PLATA””

mxcity-mx_santo_enmascarado_plata_inicios

Hoje o tio Google fez uma homenagem ao mais conhecido lutador de “luta Libre” (ou wrestling para os Hipsters) do México, El Santo, um homem que virou lenda imortalizados em seus inúmeros filmes, e outras tantas mídias, sua história (pouco conhecida no Brasil).

Rodolfo Guzmán Huerta nasceu em 23 de setembro 1917 em Tandamandaquio digo Tulancingo, desde muito cedo descidiu que queria participar do mundo da luta livre Mexicana com seus herois mascarados em ringues apinhados de pessoas sedentas por acrobacias e lutas coregrafadas.

Ao contrário de seus pares, como Mano Negra, Fishman, Rosy Moreno ou El Fantasma, El Santo criou uma lenda difícil de superar. Tudo começou em 1934, em um Ringue chamado El Bravo Tepito, quando Rodolfo Guzman Huerta foi apresentado como o homem vermelho Murciélago II, depois como El Demonio Negro; mas quase dez anos depois que lutaria nas Arena México de luta libre com o nome de El Santo, por sugestão de seu treinador Jesus Lomeli, que procurou montar uma equipe de lutadores onde todos usavam roupas prateadas.

Mas o que fez El Santo ser conhecido e reverenciado mundialmente foram os seu inúmeros filmes, onde aparecia mascarado como lutador de luta Libre forte, agil e e versátil, lutando contra assassinos psicopatas, monstros espaciais, bruxas, bandidos internacionais, mulheres-vampiro, múmias, cientistas loucos ou todos de uma vez contando apenas com seus músculos e golpes de wrestling. Ele procurou trazer a justiça e o direito nas telas de cinema, o que o levou a se tornar um dos mais conhecidos na era de ouro cinema mexicano e da cultura de luta livre, tanto no país quanto fora dele.

Desde então, a fama cresceu -exponencialmente- , seja em Histórias em quadrinhos, desenhos animados que chegou a vender um milhão de cópias. Em 1958, El Santo estreou no cinema com filmes com Santo contra el cerebro del malo, Santo contra hombres infernales, las cuales fueron filmadas em Cuba. Filmes estes feitos  baixo orçamento e que não fizeram tanto sucesso.

A lenda do Santo começou em 1961 com o sucesso do filme Santo contra los zombies. Depois disso, o lutador mascarado enfrentou todo os tipos de vilões nos mais variados cenários; de sítios arqueológicos, cidades cosmopolitas ou mesmo velho oeste. E em cada uma dessas aventuras, sempre acompanhado por mulheres muito atraentes: adversários temíveis, Entre os filmes desse periodo podemos destacar Santo vs. as mulheres de vampiros; Santo contra a invasão dos marcianos, O Tesouro de Montezuma, Meche Carreño El Brákola Baron- que foi editado “para o público adulto” internacional, conquistando os mercados de Espanha, França e EUA. A popularidade de Santo se deve a filmes ingenuos onde o protagonista desempenhava o papel de super-herói.

Em 1978, El Santo começa a perder popularidade em seus filmes, com a entrada de filmes estrangeiros no México e filmes nacionais baratos com outras temáticas. Alem disso, o herói de mil batalhas já estava com mais de 70 anos, ainda assim produziu seu ultimo filme como El Santo La furia de los karatecas  (1982).

Dois anos mais tarde, em 1984, El Santo morreu de um ataque cardíaco e, com ele, os filmes de luchadores. Enquanto paródias, alusões e homenagens tentaram reviver o esplendor deste tipo de filme, a realidade é que não conseguiu se adaptar à constante evolução da cultura mexicana em meados dos anos 80 e 90.

adaptado do site http://mxcity.mx/2016/06/el-santo-el-enmascarado-de-plata/

e

http://www.mediotiempo.com/lucha-libre/2016/09/22/comenzaron-los-festejos-de-los-100-anos-del-santo